03/06/2013

Postado por Juliana Escorel | 3 Comentários

A Saga dos Casamentos by Gaby Marques

Faz um tempinho que, nas minhas pesquisas “casamentícias”, cheguei a esse texto sensacional que a Gaby Marques escreveu em seu blog. Aliás, no mesmo dia que achei esse texto, descobri seu blog e já o devorei. Ela escreve super bem, é engraçada, e no meu caso, me ví exatamente em diversas passagens que ela descreve do nosso dia-a-dia.

Logo que lí fiquei com muita vontade de publicá-lo aqui e foi então que entrei em contato com ela pedindo autorização. Ela prontamente me respondeu dando o tão esperado OK que eu queria.

Espero que gostem tanto quanto eu e, para quem quiser ler mais, acessem o blog dela, clicando AQUI!

É amigos, os 20 e muitos chegaram, é a hora dos casamentos. Já tenho amigas grávidas e com filhos também, mas são poucas. Ainda estamos na fase dos casamentos. Muitos casamentos. No ano passado foram 16, esse ano já são 15 aaaand counting. Tem meses que tem todo final de semana. E às vezes são 3 no mesmo dia. Uma loucura. Tinham anos que eu tinha um ou outro, só com meus pais, sei lá. Mas nos últimos anos, é o tempo todo e só aumenta.

Ah! E tem aquele fato que se você está envolvida com a comunidade judaica de alguma maneira, se prepare. Potencializa BASTANTE esse número de casamentos. Eu não nasci judia por algum desvio, mas em outra vida eu fui, certeza. E nessa ainda… quem sabe? Todos os amigos dos meus pais são, quase todas as minhas amigas e amigos são, ex namorados, romances, cresci nesse meio e não tem jeito. Uma vez dentro disso é quase impossível sair. E eu adoro. Acho a religião linda, as tradições invejáveis, os valores super especiais e a maneira com que o judaísmo te faz ver e lidar com as coisas  me admira muito. É uma religião que adora comemorações e festas. E casamentos. Como casa esse povo, gente. É impressionante. E o que são animados os casamentos? É o máximo. Sou fã, são os mais divertidos ever. Se você nunca foi a algum, não sabe o que está perdendo. (Pode ir comigo algum dia se quiser, dos 15 desse ano só 2 não são judaicos). Tem até a planilha do Gugu dos casamentos! Um google docs recheado de sobrenomes só com consoantes. Veja só que organização. E ainda assim conseguem marcar 4 no mesmo dia…vai entender!

Bom, e vamos à dinâmica dos casamentos. Tem aqueles que você é super próxima do noivo ou noiva e precisa ir à cerimônia, chegar cedo, ter lugar estratégico, morrer de chorar e tudo mais. Tem aqueles que são amigos, mas nem tanto assim, então você acaba não indo na cerimônia. (Eu costumo ir sempre porque acho lindo e sempre me emociono!). Daí a caminho da festa, todo mundo se cumprimenta, tá todo mundo lindo, bem vestido, mulherada toda trabalhada nas joias e penteados (tem umas que exageeeram, acham que estão indo ao Oscar, mas enfim) e tá todo mundo feliz. Aquela injustiça de sempre em que os homens usam toda vez o mesmo terno e sapato, e tudo bem e a gente se mata pra ter um vestido por fim de semana. E ainda reclamam quando repetimos. Porque no final das contas, é aquela mesma galera de sempre. Ou seja, vocês se viram no casamento da semana passada. Mas fingem que não, e que é uma grande novidade estarem ali naquele mesmo casamento.

Falando nessa questão do vestido, e o que é caro essa brincadeira de ter esse monte de casamento? Tô falida e nunca me recupero! Praticamente um vestido por casamento, (se não novos são emprestados das amigas), cabelereiro (leia-se: cabelo, make, pé e mão, depilação), sandália, joias, taxi pra ir e voltar já que a lei seca tá pegando forte, entre outras coisas. E o presente do casamento, obviamente. Porque eu já recebo praticamente um boleto da Mickey e Fast Shop. Todo mês, vem celular, academia, cartão de crédito, Mickey e Fast Shop. Surreal o quanto deixo lá por mês.

Bom, e daí vamos à festa. Aquele social inicial até que os noivos tirem todas as milhões de fotos, os convidados se cumprimentem e comentem da linda decoração (que geralmente é de tirar o ar mesmo!), da cerimônia emocionante e do vestido da noiva, que é o que mais esperamos afinal de contas. E vamos aquecendo a bebida pra dança judaica. Mais conhecida também como praticamente uma micareta e uma pancadaria desenfreada. É a coisa mais divertida do mundo. Não da pra explicar. Preciso de um vídeo para tentar descrever. Os homens suam e se espancam na maior felicidade do mundo. As mulheres esquecem que estão totalmente emperequetadas num salto gigante e cabelo montado e se jogam, se abraçam, cantam, dão tudo de si. Tem corredor polonês, palmas efusivas, abraços e pulos infinitos. É o show do suor! No final parece que entramos numa piscina, mas esquecemos do detalhe que ainda está começando a festa e de alguma maneira temos que nos recompor, pois temos the whole night long pela frente.

Nos secamos (literalmente secamos, tamanha a dedicação na judaica) e vamos comer. E daí vamos conversando amenidades com as pessoas, porque afinal de contas, aquilo não é lugar de ter papo cabeça né? Só quando muito bêbados, mais pro final. E daí começa a night. E convenhamos, o dinheiro gasto no look e make nessa hora não mais importa, pois chega a hora de descer do salto. O momento da salvação: as havaianas. Por favor noivos, pode não ter bem casado, mas tem que ter havaianas. Pelo bem das mulheres em geral. Ou das que não mandam muito bem no salto, como eu. Minha turma de amigas adora a parte das havaianas. E minha turma especificamente é bastante animada, então meio que somos cobradas por isso em todos os casamentos. “Animação hein?” já virou nosso lema. Já pensamos até em cobrar cachê no final. Mas a gente bem que gosta dessa responsa porque fazemos na maior naturalidade. É um prazer. E ficamos chocadas com as pessoas que vão embora a 1 da manhã. Gente, como assim? Vocês sabem quanto vocês custam pros noivos pra só virem, comerem e vazarem? Por favor né… um pouco de consideração. Fiquem até o sol raiar, ué. São vocês que fazem o casamento ser legal ou não!

E um fato. É cada vez mais difícil se arranjar em casamentos. Porque não surpreendentemente, praticamente só tem casais. Então não pense em se dar bem, porque é raro. Se você já não vai acompanhada aproveite pra curtir com as amigas, porque é difícil sair algo dali.

Como deu pra notar, eu adoro casamentos. São muitos, é uma funça, não dá pra ir pra praia, mas eu amo! Podem continuar me convidando que eu vou, viu amiguinhos?! E outra, precisamos aproveitar muito essa fase, porque daqui a pouco começam as festas de crianças, bar-mitzva dos filhos… e aí minha amiga, ferrou, você definitivamente ficou velha! Então, até sábado, no casamento (é serio, eu juro que esse sábado tenho um!).

Compartilhar
  1. Oi Ju;
    Adorei ver meu texto por aqui. Super orgulho e fico muito feliz que tenha gostado.
    Muito sucesso pra você!
    O blog está o máximo.
    Beijo enorme;
    Gaby

  2. Emily escreveu:

    Como sempre os textos da Gabi são maravilhosos!!!!
    Choro de rir em todos!!!!
    Amigaaa vc é mtoo topp!!!!!
    bjinhoss

Deixe um Comentário